Hospitais universitários federais ligados ao SUS recebem mais de R$ 79 milhões

Os recursos fazem parte do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Os recursos do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF) foram liberados no começo deste mês e já estão chegando na ponta, como, por exemplo, no Hospital Universitário de Brasília. A unidade recebeu pouco mais de R$ 2 milhões e, segundo o gerente administrativo da unidade, Paulo Mendes, o dinheiro vai ser utilizado para a compra de medicamentos, equipamentos e produtos de saúde, além de ajudar na pesquisa e no ensino dos estudantes.

“Sem dúvida nenhuma o REHUF é muito importante para o hospital. Trata-se de um programa de reestruturação dos hospitais universitários integrados ao SUS. Pra nós representa cerca de 30% do nosso orçamento e a gente emprega ele não só na questão do custeio, mas também de investimentos, na manutenção de equipamentos, na compra de equipamentos, também de insumos, medicamentos, e no pagamento também de empresas, que são fornecedoras de serviços aqui no hospital”, disse.

Além do Hospital Universitário de Brasília, outras 47 instituições ligadas ao SUS, localizadas nas cinco regiões do país, estão entre os beneficiados. Ao todo, mais de R$ 79 milhões estão sendo transferidos pelo programa, que é financiado pelos ministérios da Saúde e da Educação.

A primeira parcela do REHUF de 2019 foi paga em abril e somou R$ 102,5 milhões. Segundo a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, EBSERH, empresa pública que faz a gestão dos recursos repassados aos hospitais universitários federais, o volume de dinheiro que deve ser liberado neste ano pode chegar a R$ 760 milhões.

O vice-presidente da EBSERH, Eduardo Chaves Vieira, afirma que a empresa entra em contato com as instituições para receber as demandas e distribui os recursos conforme o tamanho do hospital, número de leitos e as necessidades que eles têm para o seu custeio e investimento. “Feito este planejamento da distribuição dos recursos, estes recursos são enviados via um documento chamado de TED, que é uma transferência dos recursos para os hospitais de acordo com o plano de trabalho. Os hospitais enviam este plano de trabalho, este plano de trabalho é analisado, aprovado e os recursos são depois disponibilizados, e é prestado conta pelo hospital em cima justamente deste plano de trabalho que ele enviou”, explicou o vice-presidente da EBSERH.

Sobre o programa

O Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais foi lançado em 2010. O maior número de unidades contempladas fica no Nordeste, com 17 hospitais universitários recebendo R$ 28,3 milhões de reais. No Sudeste são 16 instituições, ao custo de R$ 23,9 milhões. Na região Sul são seis instituições, com R$ 14 milhões. A região Centro-Oeste tem cinco hospitais incluídos, somando R$ 9,5 milhões. Na Região Norte quatro unidades estão sendo atendidas, o que soma R$ 3,6 milhões.

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *